Delegacia Legal
 




 

 

 
Notícia
Novas cadeias públicas devem ser entregues em fevereiro
13/11/2011 - 22h50

Obras nas duas unidades de Guaxindiba, em São Gonçalo, já estão em estágio final de terraplenagem. Cada unidade prisional terá capacidade para 597 detentos

Em estágio final de terraplenagem, as obras da construção das duas cadeias públicas em Guaxindiba, São Gonçalo, estão previstas para ser entregues em fevereiro de 2012. Cada unidade terá capacidade para 597 detentos que aguardam pelo julgamento e estão abrigados nas carceragens de delegacias distritais. Estão sendo investidos R$ 26,8 milhões na Unidade A e R$ 23,3 milhões na Unidade B.

A construção destas duas unidades vai permitir a desativação da carceragem de Neves, que funciona em condições precárias e no limite de sua capacidade. A diferença de investimentos nas unidades deve-se ao fato de a primeira ter via de acesso construída e urbanização no entorno.

Segundo o coordenador do Programa Delegacia Legal, responsável pela implantação das cadeias públicas, César Campos, as unidades também vão gerar empregos

“Todo processo de construção vai gerar cerca de 300 empregos diretos e 900 indiretos. A implantação das cadeias segue o projeto do Governo do Estado em retirar todos os presos das unidades da Polícia Civil”, explicou César Campos. Estrutura

As duas unidades terão cerca de 4 mil metros quadrados e celas com capacidade para até seis detentos. As novas unidades prisionais também terão áreas para atendimento médico, odontológico, ambulatorial e psicológico, com central de material esterilizado e posto de enfermagem. Além disso, será criada uma ampla área coberta para os visitantes, com o objetivo de atender a demanda em dias de visita familiar.

“Com as cadeias públicas, além de localização e condições adequadas, seguras e sem superlotação, o aspecto mais importante é que permite a retirada de presos das delegacias, liberando os policiais civis para se dedicarem exclusivamente às atividades de investigação criminal e atendimento à população. Vale lembrar que a cadeia pública ou casa de custódia não é presídio, mas uma unidade prisional construída especialmente para a guarda de presos que ainda não foram a julgamento”, ressalta César Campos.

Localização

As casas de custódia vão ser construídas em um terreno do Governo do Estado às margens do Rio Guaxindiba, a aproximadamente dois quilômetros da Rodovia BR-101 (trecho entre São Gonçalo e Itaboraí). O espaço tem cerca de 60 mil metros quadrados de descampado e, pelo fato da localidade ser afastada e desabitada, será preciso, inclusive, a abertura de uma estrada a partir da Rua Nelson Pena para que se tenha acesso a ela. (O FLUMINENSE - Por: Priscila Andrade 13/11/2011)




Tecnologia PRODERJ - Todos os direitos reservados